A pré-eclampsia é a hipertensão que surge durante a gravidez, e que ainda não se sabe a causa para se puder fazer uma prevenção eficaz.

A eclampsia é a existência de convulsões maternas e pode surgir como primeiro sinal da doença sem ter sido primeiro precedida por pré-eclampsia. Podem surgir durante o trabalho de parto mesmo já em mulheres corretamente medicadas para a pré-eclampsia.

A exposição pré-natal à pré-eclampsia e eclampsia está associada a um aumento da epilepsia na criança.

Num estudo populacional de coorte sobre 1,537,860 fetos únicos expostos no período pré-natal a pré-eclampsia e eclampsia seguidos durante 27 anos, foram identificadas 20,260 pessoas com epilepsia. Os dados foram recolhidos no Registo Hospitalar Nacional Dinamarquês.

Neste estudo ficou demonstrado que apenas tinham desenvolvido epilepsia as crianças nascidas após as 37 semanas de gestação.

Não foram encontrados casos de epilepsia em crianças nascidas antes das 37 semanas de mães com pré-eclampsia, certamente porque estiveram menos tempo expostos às más trocas placentares, que se agravam com o avançar da gravidez e se sabe existirem nas gravidezes com pré-eclampsia.